The Widgipedia gallery
requires Adobe Flash
Player 7 or higher.

To view it, click here
to get the latest
Adobe Flash Player.
Get this widget from WidgipediaGet this widget from WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ Widgipedia

terça-feira, 28 de abril de 2015

DBRS confirma notação de rating atribuído a Obrigações Titularizadas da Caixa Económica Montepio Geral

DBRS confirma, em AA (high), notação de rating

Em comunicado datado de 24 de abril de 2015, a agência de notação financeira DBRS Ratings Limited confirmou a notação da operação de titularização de créditos à habitação em que a Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) desempenha o papel de Originador e Servicer - Aqua Mortgage 1 -, em AA (high), o segundo nível mais elevado apenas superado pela notação AAA.

A manutenção desta notação de rating decorre, por um lado, da robustez da performance da carteira de ativos titularizados da CEMG, e, por outro lado, pela qualidade dos créditos prevalecentes na operação.

Fonte: Montepio | Gabinete de Relações Públicas Institucionais

segunda-feira, 27 de abril de 2015

segunda-feira, 20 de abril de 2015

domingo, 19 de abril de 2015

Bahrain Grand Prix - F 1 , Sakhir, April 19, 2015

Lewis Hamilton, Kimi Raikkonen and Nico Rosberg acknowledge the crowd during a sombre podium ceremony, Bahrain Grand Prix, Sakhir, April 19, 2015 © Sutton Images

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Morreu o escritor e jornalista uruguaio Eduardo Galeano - 04.2015

 
Eduardo Galeano, segundo o diário espanhol, encontrava-se internado desde sexta-feira, num hospital da capital uruguaia, por causa de um cancro nos pulmões, de que padecia. «Las venas abiertas de América Latina» («As veias da América Latina»), que publicou em 1971, e "Memoria del fuego", de 1986, trilogia da História das diferentes Américas, destacam-se da sua obra, que se estende por mais de quatro décadas e que se encontra traduzida em mais de 20 idiomas. Galeano nasceu a 3 de setembro de 1940, numa família católica de classe média, na capital uruguaia. Na infância quis ser jogador de futebol - facto que expõe em alguns dos seus textos, como «O futebol de sol a sombra» -, mas antes de se transformar num intelectual da esquerda latino-americana, foi operário, desenhador, mensageiro, empregado bancário. Iniciou a carreira jornalística na década de 1960, como editor do semanário Marcha, onde também se cruzaram Mario Vargas Llosa e Mario Benedetti, e do diário Época. Em 1973, o golpe militar do Uruguai levou Galeano à prisão e ao exílio na Argentina, onde fundou a revista "Crisis", que dirigiu até à instituição, no país, da ditadura do general Jorge Videla, em 1976. Galeano era um dos resistentes mais procurados pelos esquadrões da morte. Exilou-se em Espanha, onde iniciou a trilogia «Memória do Fogo». Regressou ao Uruguai, após a queda da ditadura, na década de 1980. Escreveu «As veias da América Latina» quando tinha 31 anos. A obra, proibida pelas ditaduras da Argentina, Chile e Uruguai, depressa se transformou numa das mais citadas sobre a evolução política do continente. Mais tarde, porém, o autor reconheceu que, naquela época, ainda não tinha maturidade suficiente para completar a tarefa: «Tentei fazer uma obra de economia política, mas não tinha a formação necessária», recorda o diário El País. «Não me arrependo de ter escrito o livro, mas é uma etapa que, para mim, está superada». «Siglo XXI»/«Século XXI», o seu último livro, uma coletânea de contos, será publicado em Espanha na próxima quinta-feira. Lusa

domingo, 12 de abril de 2015

Motor Clássico - Salão Internacional de Veículos Clássicos - FIL - 12.04.2015

Chinese Grand Prix F 1, Shanghai, April 12, 2015

Race-winner Lewis Hamilton celebrates with Nico Rosberg and Sebastian Vettel celebrate on the podium, Chinese Grand Prix, Shanghai, April 12, 2015 © Sutton Images

sexta-feira, 10 de abril de 2015

domingo, 5 de abril de 2015

MotorClássico - Salão Internacional de Veículos Clássicos - FIL - Lisboa - 10 a 12 de Abril 2015

Jose da Silva Lopes RIP - Paul Krugman



Sad news: Jose da Silva Lopes, a Portuguese economist and government official who played a crucial role shepherding his country into the community of democratic Europe, has just died.
I met Silva Lopes in 1976, when I was part of a group of MIT grad students who spent the summer working at the Bank of Portugal, of which he was governor at the time. I’ve written about that experience; let me just add that working with Silva Lopes — who must have been somewhat horrified at trying to deal with us uncouth students at the same time that he was trying to cope with the chaos of a still unstable political system, but showed unfailing good humor and intelligence — was one of the real highlights of the whole business.

Actually, an anecdote: we were working in rented space outside the Bank proper, and there was a Soviet trade mission just upstairs. We joked to him that the Russians might be bugging us; he responded, “I don’t care what the Russians find out, it’s the press I’m worried about!”
Another: his remark about the state of foreign exchange reserves — “When I have six months’ reserves, I will have no reserves” — was a key inspiration for my early work on currency crises.
And yet another: at the time, Portugal, as a low-wage nation within Europe, exported a lot of apparel. Silva Lopes: “We are not a banana republic, we are a pajama republic.”
In the years that followed, he added further chapters to his illustrious career — more than I knew, I’m ashamed to say — leading tax reform and more. I was honored and delighted to see him again two years ago, and have him deliver remarks when I received honorary degrees in Lisbon. If you read his remarks, you’ll see that he was as sharp — and good humored — as ever.
The world has lost a great, good, and incredibly likable man.
Paul Krugman - New York Times Blog

Manoel de Oliveira (1908 - 2015)





The second best exotic Marigold Hotel - 2015 - O segundo exótico Hotel Marigold


quinta-feira, 2 de abril de 2015

Montepio apoia Coleção Design Português

No ano em que se assinala o Ano Português do Design, o Jornal Público, apoiado pelo Montepio, edita uma nova coleção sobre a evolução, com todas as conquistas e hesitações, do design em Portugal no último século. São oito volumes organizados cronologicamente e divididos por cada duas décadas.
A coleção Design Português inicia-se em 1900 e termina nos dias de hoje, ilustrando, nas capas, os períodos a que correspondem. Coordenada por José Manuel Bártolo, esta coleção oferece-nos uma perspetiva única do Portugal contemporâneo, narrada por objetos do dia-a-dia, como cadeiras e candeeiros, esses invisíveis protagonistas.
Da Paródia de Bordallo Pinheiro, ao azeite Gallo, passando pela pasta Couto, esta coleção dá-nos a conhecer o contexto histórico e os principais designers e obras das mais diversas áreas de intervenção do design, da literatura à imprensa, da construção ao produto, da arquitetura à moda. Cada volume sai às terças-feiras, com o Jornal Público.

Fonte: Montepio | Gabinete de Relações Públicas Institucionais