The Widgipedia gallery
requires Adobe Flash
Player 7 or higher.

To view it, click here
to get the latest
Adobe Flash Player.
Get this widget from WidgipediaGet this widget from WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ Widgipedia

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Lista dos vencedores da 83ª edição dos Óscares - 2011

Melhor Filme:
"O Discurso do Rei" - Tom Hooper
Melhor Realização:
Tom Hooper - "O Discurso do Rei"
Melhor Actor:
Colin Firth - "O Discurso do Rei"
Melhor Actor Secundário:
Christian Bale - "Último Round"
Melhor Actriz:
Natalie Portman - "Cisne Negro"
Melhor Actriz Secundária:
Melissa Leo - "The Fighter - Último Round"
Melhor Argumento Adaptado:
"A Rede Social"
Melhor Argumento Original:
"O Discurso do Rei"
Melhor Filme de Língua Não Inglesa:
"Num mundo melhor" - Susanne Bier (Dinamarca)
Melhor Filme de Animação:
"Toy Story 3" - Lee Unkrich
Melhor Documentário:
"Inside Job - A verdade da crise" - Charles Ferguson
Melhor Documentário em Curta-Metragem:
"Strangers No More" - Karen Goodman e Kirk Simon
Melhor Curta-metragem:
"God of Love"
Melhor Curta-metragem de animação:
"The Lost Thing"
Melhor Direcção Artística:
"Alice no País das Maravilhas"
Melhor Fotografia:
"A Origem"
Melhor Montagem:
"A Rede Social"
Melhor Caracterização:
"O Lobisomem"
Melhor Guarda-roupa:
"Alice no País das Maravilhas"
Melhor Banda Sonora Original:
"A Rede Social" - Trent Reznor e Atticus Ross
Melhor Canção:
"We Belong Together" ("Toy Story 3") - Randy Newman
Melhor Montagem de Som:
"A Origem"
Melhor Mistura de Som:
"A Origem"
Melhores Efeitos Visuais:
"A Origem"

 In JN On Line
 


Em Paz Por Terras de Angola

“Angola era o mais belo, rico e promissor País do Mundo”. Quantas e quantas vezes já teremos ouvido estas palavras? Sejam elas proferidas por portugueses que viveram nesta ex-colónia, angolanos que visitam o nosso País, historiadores, jornalistas, enfim, todos são unânimes na descrição que fazem deste grandioso País africano que, outrora, esteve na vanguarda do progresso e do desenvolvimento em África.
Este livro é a prova irrefutável da veracidade dessas palavras. Angola era, realmente, um País único no Mundo, palco de riquezas indescritíveis e de uma beleza inigualável em qualquer outro ponto do Globo. Entre 1970 e 1975, numa épica viagem que levou Jean Charles Pinheira a percorrer quase 200.000 quilómetros por terras de Angola, a objectiva deste fotógrafo luso-francês captou imagens irrepetíveis, provas concretas de um País que, afinal, não vive apenas no imaginário de quem o viu: vive também aqui, nas imagens mágicas de Jean Charles Pinheira.
Das grandes metrópoles às savanas selvagens, das planícies às regiões montanhosas, dos desertos às florestas, nada escapou à objectiva de Jean Charles. Fauna e flora, indústria e gentes de Angola, tudo está aqui retratado, como que a legitimar as descrições que sempre nos fizeram de um País que existiu, deixou de existir e, agora, tenta renascer imponente, poderoso e capaz de ombrear com as maiores economias do Mundo.
A complementar as imagens que nos comovem e seduzem, os emocionantes e sentidos textos do angolano Sandro Bettencourt, jornalista com mais de 10 anos de carreira em Portugal, transportam o leitor para outro tempo, para outro espaço, para um Mundo que só é possível aqui, nas páginas desta magnífica obra. Um Mundo de Paz por Terras de Angola…
In Zebra Publicações On Line

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Discovery Lifts Off!

Space shuttle Discovery's liftoff from Launch Pad 39A at NASA's Kennedy Space Center in Florida on a picturesque, warm, late February afternoon was witnessed by news media representatives near the countdown clock at the Press Site. Launch of the STS-133 mission was at 4:53 p.m. EST on Feb. 24.

Discovery and its six-member crew are on a mission to deliver the Permanent Multipurpose Module, packed with supplies and critical spare parts, as well as Robonaut 2, the dexterous humanoid astronaut helper, to the International Space Station. Discovery is making its 39th mission and is scheduled to be retired following STS-133. This is the 133rd Space Shuttle Program mission and the 35th shuttle voyage to the International Space Station.

Image Credit: NASA/Troy Cryder

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Um país insuportável - para reflectirmos... (A. Marinho e Pinto)


Um país insuportável
A falta de bom-senso e humildade constitui uma das principais causas da degenerescência da justiça portuguesa. Tudo seria simples se houvesse uma coisa que falta cada vez mais aos nossos magistrados: bom senso.
Uma mulher com 88 anos de idade morreu no seu apartamento em Rio de Mouro, Sintra, mas o corpo só foi encontrado mais de oito anos depois, juntamente com os restos mortais de alguns animais de companhia (um cão e dois pássaros). 
Este caso, cujos pormenores têm sido abundantemente relatados na comunicação social, interpela-nos a todos não só pela sua desumanidade mas também pela chocante contradição entre os discursos públicos dominantes e a dura realidade da nossa vida social. Contradição entre promessas e garantias de bem-estar, de solidariedade e de confiança nas instituições públicas e uma realidade feita de solidão, de abandono e de impessoalidade nas relações das instituições com os cidadãos. 
Apenas duas ou três pessoas se interessaram pelo desaparecimento daquela mulher, fazendo, aliás, o que lhes competia. Com efeito, uma vizinha e um familiar comunicaram o desaparecimento às autoridades policiais e judiciais mas ninguém na PSP, na GNR, na Polícia Judiciária e no tribunal de Sintra se incomodou o suficiente para ordenar as providências adequadas. Em face da participação do desaparecimento de uma idosa a diligência mais elementar que se impunha era ir à sua residência habitual recolher todos os indícios sobre o seu desaparecimento. É isto que num sistema judicial de um país minimamente civilizado se espera das autoridades policiais e judiciais, até porque o caso era susceptível de constituir um crime. O assalto e até assassínio de idosos nas suas residências não são, infelizmente, casos assim tão raros em Portugal. Mas, sintomaticamente, as autoridades judiciais não só não se deram ao trabalho de se deslocar à residência como, inclusivamente, recusaram-se a autorizar os familiares a procederem ao arrombamento da porta de entrada. 
E tudo seria tão simples se houvesse uma coisa que falta cada vez mais aos nossos magistrados: bom senso. Mas não. Dava muito trabalho ir à uma residência procurar pistas sobre o desaparecimento de uma pessoa. Dava muito trabalho oficiar outras instituições para prestar informações sobre esse desaparecimento. Sublinhe-se que um primo da idosa se deslocou treze vezes ao tribunal de Sintra para que este autorizasse o arrombamento da porta da sua residência. Mas, em vez disso, o tribunal, lá do alto da sua soberba, decretou que a desaparecida não estava morta em casa, pois, se estivesse, teria provocado mau cheiro no prédio. É esta falta de bom-senso e humildade perante a realidade que constitui uma das principais causas da degenerescência da justiça portuguesa. Os nossos investigadores (magistrados e polícias) não investigam para encontrar a verdade, mas sim para confirmarem as verdades que previamente decretam. E, como algumas dessas verdades são axiomáticas, não carecem de demonstração.
Mas há mais entidades cujo comportamento revela que a pessoa humana não constitui motivo suficientemente forte para as obrigar a alterar as rotinas burocráticas e impessoais. 
A luz da cozinha daquele apartamento esteve permanentemente acesa durante um ano, ao fim do qual a EDP cortou o fornecimento de energia eléctrica, sem se interessar em averiguar o motivo pelo qual um consumidor deixou de cumprir o contrato celebrado entre ambos.
Os vales da pensão de reforma deixaram de ser levantados pela destinatária, mas a segurança social nada se preocupou com isso. Ninguém nessa instituição estranhou que a pensão de reforma deixasse de ser recebida, ou seja, que passasse a haver uma receita extraordinária sem uma causa. E isto é tanto mais insólito quanto os reformados são periodicamente obrigados a fazerem prova de vida. Mas isso é só quando estão vivos e recebem a pensão. 
Os CTT atulharam a caixa de correio daquela habitação de correspondência que não era recebida sem que nenhum alerta alterasse as suas rotinas. 
Finalmente, as finanças penhoraram uma casa e venderam-na sem que o respectivo proprietário fosse citado. Como é que é possível num país civilizado penhorar e vender a habitação de uma pessoa, aliás, por uma dívida insignificante, sem que essa pessoa seja citada para contestar? Sem que ninguém se certifique de que o visado tomou conhecimento desse processo? Como é possível comprar uma casa sem a avaliar, sem sequer a ver por dentro? Quem avaliou a casa? Quem fixou o seu preço? 
Claro que agora aparecem todos a dizer que cumpriram a lei e, portanto, ninguém poderá ser responsabilizado porque a culpa, na nossa justiça, é sempre das leis. É esta generalizada irresponsabilidade (ninguém responde por nada) que está a tornar este país cada vez mais insuportável.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

2011 - GP F 1 do Bahrein adiado

A primeira corrida da temporada no Mundial de Fórmula 1, programada para o Bahrein, foi adiada devido à instabilidade que se vive no país.
Segundo estão a avançar vários meios, o Grande Prémio do Bahrein foi mesmo adiado devido às preocupações de segurança. A organização da prova anunciou que a corrida, a primeira da nova temporada, não se vai realizar.
O príncipe herdeiro Salman bin Hamad bin Isa Al-Khalifa já terá informado Bernie Ecclestone da decisão. “Sentimos que o mais importante para o país é concentrar-se nos assuntos de imediato interesse nacional”, sublinhou.
“A prioridade do Bahrein é ultrapassar a tragédia, sanar as divisões e redescobrir aquilo que une este país, lembrando ao resto do mundo o melhor que o Bahrein é capaz de fazer como nação unida”, acrescentou.
Com o cancelamento da corrida no Bahrein (prevista para 13 de Março), o início da temporada 2011 da Fórmula 1 fica adiado para 27 de Março, duas semanas mais tarde que o originalmente programado. De acordo com vários meios, ainda não foi tomada qualquer decisão relativamente à remarcação do GP do Bahrein. O GP do Bahrein fazia parte do calendário do Mundial de Fórmula 1 desde 2004.
“Seria bom ir ao Bahrein, mas temos de esperar um pouco mais para disputar a nossa primeira corrida, que será a do meu país”, sublinhou o australiano Mark Webber. “Gosto sempre de ir lá [a Melbourne]. É uma corrida sensacional. A equipa está em boa forma e esperamos conseguir um bom resultado”, acrescentou o piloto da Red Bull, em declarações à emissora britânica BBC.
“É lamentável que tenha de ser cancelada a corrida no Bahrein. Desejamos o melhor a toda a nação”, disse o detentor dos direitos comerciais da Fórmula 1, Bernie Ecclestone. “A hospitalidade e entusiasmo das pessoas do Bahrein são um ponto alto da corrida, como quem já esteve no GP do Bahrein pode testemunhar. Esperamos regressar em breve”, acrescentou.
In Publico On line

domingo, 20 de fevereiro de 2011

2009 - Up in the air


Marcas de Cigarros

mini Kayak - Portugal
Kart - Portugal

2000 - Erin Brockovich


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

2000 - Proof of live


sábado, 12 de fevereiro de 2011

Zé Caputo - o meu ídolo de infância - Lubango - Angola

O Facebook tem destas coisas. "Descobri" o Zé Caputo, ídolo da minha infância, quando corria num Cooper S e ganhava todas as corridas.Algumas fotos:


quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

2009 - Avatar


Montepio alheio às investigações sobre acções do Finibanco

Valorização das acções do Finibanco antes da OPA do Montepio desencadeou ‘alarmes’ da CMVM.
Os dias que antecederam o anúncio preliminar de lançamento da OPA do Montepio Geral sobre o Finibanco ficaram marcados por fortes valorizações e liquidez das acções do Finibanco, instituição alvo da oferta de aquisição.
Este desempenho em bolsa dos títulos, atípico para o padrão habitual, fez "soar os alarmes" na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e levou a entidade de supervisão a, inicialmente, ordenar a suspensão da negociação das acções do Finibanco e, posteriormente, a abrir um processo de análise e investigação às transacções nos dias anteriores ao anúncio da OPA. Isto porque, a forte valorização das acções indicia que alguns investidores terão tido acesso à informação de que iria ser lançada a oferta de aquisição, tirando disso partido, crime referido habitualmente por ‘insider trading'.
As alegadas irregularidades prendem-se exactamente com essa compra de acções nos dias antes do anúncio da operação, por parte de investidores não identificados. As investigações nada têm a ver com a OPA propriamente dita, que aliás já foi concluída com sucesso, estando em curso a integração operacional do Finibanco no Montepio. No mesmo sentido, Tomás Correia comentou o caso, em declarações ao Diário Económico. "O Montepio é completamente alheio às operações que vêm descritas", afirma o banqueiro, acrescentando que "tais operações são contrárias à prática e aos valores do Montepio". Tomás Correia conclui dizendo que, no que toca às irregularidades detectadas pela CMVM, "se existirem são da responsabilidade de agentes económicos completamente estranhos ao Montepio".

Justiça investiga indício de crime na OPA Montepio-Finibanco

Justiça investiga indício de crime na OPA Montepio-Finibanco
O processo de investigação da CMVM às transacções de acções do Finibanco, nos dias que antecederam o anúncio de lançamento da OPA por parte do Montepio Geral, já chegou ao Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, destaca a edição do Diário Económico esta quarta-feira.
Em causa está uma forte subida das acções que indicia que alguns investidores terão tido acesso à informação de que iria ser lançada a OPA, tirando partido disso, crime referido habitualmente por insider trading.
“Regista-se a participação da CMVM”, refere informação do DIAP de Lisboa. Questionado pelo jornal, a mesma fonte disse ainda que, “atenta a fase do processo, nada mais pode ser informado”.
Fonte oficial da entidade de supervisão do mercado de capitais português confirmou apenas que “o processo na CMVM está concluído”.
Desconhece-se qual o investidor ou investidores que terão estado por trás das operações suspeitas, acrescenta o jornal.
Diário Digital | quarta-feira, 02 Fevereiro 2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Habitação - Sete bancos já cobram ‘spreads’ acima de 4%

Desde o início do ano, cinco bancos subiram os ‘spreads’. BBVA e Barclays já fizeram dois aumentos em 2011.
A escalada dos ‘spreads' não tem fim à vista. Desde o início do ano, cinco bancos fizeram ajustes neste indicador. Foi o caso do Santander Totta, BES, CGD, Barclays e BBVA. Sendo que estas duas últimas instituições financeiras já aumentaram por duas vezes este ano os ‘spreads' praticados no crédito à habitação.
Contas feitas, a média dos ‘spreads' mínimos - aplicados aos melhores clientes - em Portugal situa-se nos 1,24%. Já a média dos ‘spreads' praticados para os clientes de maior risco situa-se nos 3,92%. Mas, na realidade, são muitas as instituições que estão a aplicar ‘spreads' máximos acima desta fasquia. Analisando os preçários é possível ver que sete instituições cobram já ‘spreads' acima dos 4%. É o caso da CGD, BES, BCP, BPI, Barclays, Banif e Banco Popular.
O economista e professor universitário, João Cantiga Esteves, acredita que esta tendência vai continuar nos próximos meses e não descarta a hipótese dos ‘spreads' máximos poderem vir a atingir a barreira dos 6%. "Enquanto as condições de acesso ao financiamento por parte dos bancos não melhorarem - e neste momento o mercado interbancário está longe de estar normalizado -, as instituições financeiras vão continuar a subir os ‘spreads', principalmente, para os clientes de maior risco. Por isso é possível que venhamos a ter ‘spreads' máximos na ordem dos 6%".
As últimas actualizações de preçários permitem verificar ainda uma mudança de tendência no sector financeiro. Até agora eram os bancos estrangeiros que ofereciam os ‘spreads' mais baixos do mercado. Mas esta realidade está mudar. As últimas grandes subidas de 2011 pertencem a bancos estrangeiros - BBVA e Barclays. Ou seja, as diferenças de ‘spreads' entre os bancos estrangeiros e bancos nacionais estão a esbater-se. Cantiga Esteves avança com uma explicação para este facto. "Trata-se, provavelmente, de uma questão de alinhamento com o resto do mercado. Os bancos estrangeiros tinham ‘spreads' mais baixos numa tentativa de recuperar alguma quota do mercado de crédito à habitação. Mas não é fácil fazê-lo nesta altura. Por isso é natural que estejam a alinhar os seus ‘spreads' com a concorrência".
A verdade é que a tendência de subida deste indicador já dura há vários anos. No início de 2009, os cinco maiores bancos portugueses aplicavam em média um ‘spread' mínimo de 0,67%. Hoje, as mesmas instituições têm um ‘spread' mínimo de 1,51%. Ou seja, no espaço de dois anos, este indicador mais do que duplicou.
Estas mudanças causam um impacto significativo nas carteiras das famílias. A diferença entre ter um ‘spread' mínimo mais baixo do mercado (0,45% no Deutsche Bank), ou ter um ‘spread' mínimo no Banif (que cobra 2%) pode custar alguns euros. Por exemplo, uma família que queira fazer um crédito à habitação no valor de 100 mil euros, a pagar em 20 anos, indexado à Euribor a seis meses pagaria uma prestação de 492 euros se conseguisse obter um ‘spread' mínimo de 0,45%. Já se a mesma família obtivesse o ‘spread' mínimo de 2%, isso resultaria numa prestação mensal de 567 euros. Ou seja, mais 74 euros por mês. Contas feitas, significaria que esta família pagaria no final do empréstimo mais 18.000 euros, pelo facto de ter um ‘spread' mais alto.
In Económico On line

sábado, 5 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

McLaren-Mercedes MP4-26

McLaren revelou esta manhã em Berlim, na Potsdamer Platz, o MP4-26, o seu novo monolugar para a temporada 2011 do Mundial de Fórmula 1. Para o efeito, a equipa de Woking procedeu a uma cerimónia de apresentação diferente: o monolugar foi sendo 'construído' em frente a uma grande multidão que se foi reunindo junto aos edifícios da Vodafone.
Assim, ao invés de simplesmente se levantar um pano para desvendar o novo monolugar, alguns mecânicos foram montando algumas partes do carro, levadas para o local por diversos adeptos que haviam ganho passatempos e por clientes da empresa.
Já com o McLaren-Mercedes pronto, pouco depois chegariam os dois pilotos da equipa, Jenson Button e Lewis Hamilton, e do diretor da formação, Martin Whitmarsh, sendo Button e Hamilton os responsáveis pela montagem das últimas partes do carro.
Em termos aerodinâmicos, o novo MP4-26 conta com diferenças significativas em relação ao seu antecessor, notavelmente na área dos flancos, esculpidos em forma de 'L', pensados para fornecerem um maior fluxo de ar para a secção posterior e o novo desenho da tomada de ar para o motor, dividida por dois espaços, contando ainda com uma linha descendente pouco inclinada.
Na secção dianteira, o nariz destaca-se por ser quase plano (sem curvaturas) mas igualmente elevado, a exemplo dos monolugares que haviam sido revelados até aqui, ao passo que a asa dianteira está bastante esculpida, tanto nas paredes laterais como junto à secção lateral. Destaque, ainda, para a nova asa traseira com ajuste por parte do piloto. A nível técnico, o MP4-26 está dotado com o novo sistema KERS concebido em parceria com a Mercedes-Benz HighPerformanceEngines.
O novo carro será agora levado para um 'shakedown' pelas mãos de Gary Paffett em Espanha na terça-feira, antes de iniciar os testes oficiais na quinta-feira, dia 10 de fevereiro.
In Autsport On Line

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Junte-se às comemorações do Ano Europeu do Voluntariado!

Sob o lema “Sê voluntário! Faz a diferença”, o Ano Europeu do Voluntariado (AEV) 2011 está a desenvolver uma agenda repleta de acções e actividades em cada um dos estados membros da União Europeia, que inclui conferências temáticas, seminários nos países participantes, bem como a realização da “Volta do Voluntariado”, um tour que percorrerá as capitais dos 27.
Lisboa será a terceira cidade a acolher o evento e, no Fórum Picoas, entre os dias 3 e 9 de Fevereiro, acolhe a “Volta”, destinada a divulgar as acções de voluntariado na Europa através da realização de um conjunto de actividades de lazer, conferências, debates, projecção de filmes temáticos e workshops.
Para consultar a agenda de actividades, clique aqui.
O AEV tem por principais objectivos a criação de um ambiente propício ao voluntariado, na UE, a atribuição de meios às organizações voluntárias, a recompensa e o reconhecimento do trabalho voluntário e a sensibilização dos cidadãos para o valor intrínseco desta actividade.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

NEW SILVER ARROW DEBUTED AT VALENCIA - Mercedes F1

The debut of the MGP W02, the new Silver Arrow for the 2011 Formula One World Championship, took place this morning at the Valencia Circuit in Spain with the new challenger unveiled in front of the MERCEDES GP PETRONAS team garage by Nico Rosberg and Michael Schumacher.
 The result of twelve months intense design and development work, the MGP W02 is the second Silver Arrows car to be launched by MERCEDES GP PETRONAS since the team became the first Mercedes-Benz works outfit since 1955.
 In http://www.mercedes-gp.com/en/#/category/race/

Red Bull revelou o novo RB7

A equipa campeã, a Red Bull Racing, apresentou esta manhã o novo RB7 , monolugar com que vai tentar defender os títulos em 2011. O carro tem, a exemplo de todos os restantes já apresentados, um nariz elevado, mas também um capot motor maior que o do seu antecessor, e uma asa traseira com um conceito diferente do RB6 do ano passado. Sebastian Vettel será o primeiro a testar o novo Reb Bull RB7.
In Autsport On Line