The Widgipedia gallery
requires Adobe Flash
Player 7 or higher.

To view it, click here
to get the latest
Adobe Flash Player.
Get this widget from WidgipediaGet this widget from WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ Widgipedia

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Angolanos e brasileiros em pé de guerra pela Galp

Petrobras e Sonangol têm sido dadas como interessadas em entrar no capital da petrolífera
A estrutura accionista da Galp poderá ser alterada já a partir do dia 1 de Janeiro, com o fim da cláusula do acordo parassocial que obriga os principais accionistas a manterem as posições. Adivinha-se assim uma «guerra» de poder entre a Petrobas, Sonangol e Américo Amorim.
O acordo parassocial da Galp - que entrou em vigor em 2006 e se prolonga até 2014 - dita que os accionistas que assinaram o documento (ENI, Amorim Energia e Caixa Geral de Depósitos) devem manter a sua posição no capital social da empresa até 31 de Dezembro deste ano, nota a Lusa.
A Amorim Energia (na qual os angolanos da Sonangol detêm uma participação de 45%) e a italiana ENI têm cada uma 33,34% do capital social da Galp (o máximo permitido pelo acordo parassocial). À Parpública pertencem 7% e à Caixa Geral de Depósitos (CGD) 1%. No entanto, o banco público tem direitos de preferência na petrolífera o que faz com que, na prática, qualquer alteração no quadro societário da Galp implique o acordo da CGD. O restante capital da petrolífera (25,32%) está disperso pelo mercado.
Nas agora, com o fim da cláusula eminente, accionistas como a ENI e a Amorim Energia ficam livres para reforçar ou vender a sua posição. Ainda que sob condições, como por exemplo, a obrigação de alienar a totalidade da participação, tendo as outras partes direitos de preferência.
O «Diário Económico» noticiou na quarta-feira que o Governo está a tentar forçar a extensão do acordo parassocial com estes dois accionistas com o objetivo de «ganhar tempo para encontrar uma solução que sirva os interesses nacionais».

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Angolanos já controlam 9,99% do BPI

A Santoro Finance, empresa controlada por Isabel dos Santos, voltou esta semana a reforçar a sua posição no capital do BPI.
A empresa da filha do Presidente de Angola, adquiriu mais 544.212 acções do banco português por 807 mil euros e elevou a sua participação no capital da instituição para 9,99%.
Esta foi a quinta semana consecutiva em que a empresa angolana reforçou no capital do banco.
Em pouco mais de um mês, a Santoro gastou 2,85 milhões de euros em acções do BPI e agora é já dona de 89.893.435 acções.

Fonte: Agência Financeira

Montepio - Donativos de Natal apoiam 10 instituições de solidariedade

O Montepio assinalou a quadra natalícia com a oferta de 200 mil euros de donativos a 10 instituições de solidariedade e convidou personalidades do jornalismo nacional para apadrinharem os projectos sociais
Fátima Campos Ferreira (RTP), Nicolau Santos (Expresso), Pedro Camacho (Visão), Bárbara Reis (Público), Laura Luzes Torres (Máxima), Fernanda Freitas (RTP 2), Sofia Carvalho (SIC Mulher), João Marcelino (Diário de Notícias), Pedro Guerreiro (Jornal de Negócios) e Guilherme Borba (OJE) foram as dez personalidades do jornalismo nacional que aceitaram o convite do Montepio para participarem na iniciativa de solidariedade, responsabilidade social e cidadania que preparámos para esta quadra – a entrega dos Donativos de Natal Montepio
O Montepio, coerente com a boa prática de afectar o montante habitualmente dispendido com a aquisição de presentes de Natal à concessão de donativos destinados a reconhecer o trabalho meritório e apoiar as actividades desenvolvidas por instituições particulares de solidariedade social nacionais, assinalou, uma vez mais, a quadra natalícia com a atribuição de donativos, no valor unitário de 20 mil euros, em benefício de cada uma das seguintes dez instituições:
- Associação para a Promoção da Segurança Infantil – APSI
- Liga Portuguesa Contra a SIDA
- Liga Portuguesa Contra o Cancro
- Olhar o Futuro (Vila Nova de Gaia)
- Centro Social e Paroquial do Bairro 6 de Maio (Amadora)
- Centro Social e Paroquial de Arreigada (Paços de Ferreira)
- Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Leiria
- Obra do Padre Coutinho (Viana do Castelo)
- Patronato de São Miguel (Região Autónoma dos Açores)
- Creche, Jardim-de-Infância de Grândola.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

It's complicated - 2009

Jane (Streep) is the mother of three grown kids, owns a thriving Santa Barbara bakery/restaurant and has—after a decade of divorce—an amicable relationship with her ex-husband, attorney Jake (Baldwin). But when Jane and Jake find themselves out of town for their son’s college graduation, things start to get complicated. An innocent meal together turns into the unimaginable—an affair. With Jake remarried to the much younger Agness (Lake Bell), Jane is now, of all things, the other woman.

Caught in the middle of their renewed romance is Adam (Martin), an architect hired to remodel Jane's kitchen. Healing from a divorce of his own, Adam starts to fall for Jane, but soon realizes he's become part of a love triangle.

Should Jane and Jake move on with their lives, or is love truly lovelier the second time around? It's... complicated.


Montepio galardoado pelos "Prémios à Eficácia da Comunicação 2010"

A campanha de comunicação "Mealheiro Montepio" foi distinguida na cerimónia de atribuição dos "Prémios à Eficácia da Comunicação", realizada a 25 de Novembro, na sede da Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa.
Nesta edição, o Montepio foi galardoado com o prémio "Bronze", na categoria "Serviços Financeiros e Seguros", pela forma como atingiu os objectivos propostos sem envolver orçamentos elevados em produção e media.
Os "Prémios à Eficácia da Comunicação" são promovidos pela Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN)  e pelo Grupo Consultores, com o objectivo de promover e reconhecer a excelência na comunicação comercial e a sua capacidade de contribuir para atingir os objectivos das empresas.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

O Banco Central Europeu (BCE) vai aumentar o seu capital em cinco mil milhões de euros para 10,6 mil milhões de euros

O Banco Central Europeu (BCE) vai aumentar o seu capital em cinco mil milhões de euros para 10,6 mil milhões de euros, para ultrapassar a volatilidade das taxas de câmbios, de crédito e riscos de crédito.
O aumento do capital social resulta também, segundo o BCE, da «necessidade de garantir uma base de capital adequada a um sistema financeiro que cresceu consideravelmente».
O processo será realizado em três etapas, a primeira das quais a 29 de Dezembro e as duas restantes no final de 2011 e de 2012.
O conselho dos governadores do BCE reuniram-se quarta-feira em Frankfurt e decidiram que os 16 bancos centrais nacionais da Zona Euro deverão fazer as suas contribuições em três tranches. Os bancos centrais dos restantes países da União Europeia, que não adoptaram a moeda única, irão fazer uma única contribuição no final deste ano.
Este é o primeiro aumento de capital do BCE desde a sua criação há 12 anos.

Fonte: Agência Financeira

Carteira chinesa da dívida dos EUA ultrapassou os 685 mil milhões de euros

A carteira chinesa de títulos do Tesouro dos EUA voltou a aumentar em Outubro, para mais de 906 mil milhões de dólares (mais de 685 mil milhões de euros), apesar do alerta de alguns economistas acerca do excessivo investimento na dívida norte-americana.
Em vez de investir no Tesouro norte-americano, a China devia concentrar-se no fomento do consumo interno, "o que criaria postos de trabalho para os jovens e combateria o alto índice de desemprego", disse um perito financeiro citado hoje pelo jornal Global Times.
Exceptuando a própria Reserva Federal dos EUA, a China é o maior detentor de títulos do Tesouro norte-americano.
Em Outubro passado, pelo quarto mês consecutivo, a carteira chinesa aumentou 2,3% para 906,8 mil milhões de dólares, atingindo o valor mais alto desde Novembro de 2009.
No inicio de 2010, um professor da Universidade de Pequim sugeriu que o governo distribuísse as suas reservas em dólares pela população, argumentando que uma desvalorização daquela moeda diluiria os ganhos obtidos com o investimento nos títulos do Tesouro.
Um outro académico considerou que "é preferível diversificar a carteira de investimento, nomeadamente em ouro e energia, em vez de concentrar tanto dinheiro na dívida norte-americana".
A China possui as maiores reservas em divisas do mundo, estimadas em 2,65 biliões de dólares (números de Setembro passado).

Fonte: Jornal OJE

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Deception - 2008

Uma pergunta bastante simples mas um homem pode responder de forma para sempre mudar a sua vida. Jonathan McQuarry é esse homem. Um auditor de empresas à deriva no mar da elite de poder nova-iorquino. Um encontro fortuito com Wyatt Bose, um carismático advogado leva Jonathan a conhecer um mundo que existe apenas para os privilegiados, um mundo de “intimidade sem laços’” como o descreve uma das suas primeiras conquistas, um mundo através do qual ele descobre um lado de si que não sabia existir… Mas um affair com uma atraente e misteriosa estranha, que Jonathan conhece apenas como “S”, a sua inicial, irá expô-lo a um outro mundo que ele jamais imaginou existir – um mundo de traição e morte.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Couples Retreat - 2009

Quatro casais embarcam numa viagem para um resort numa ilha tropical. Enquanto um dos casais está lá para resolver o seu casamento, os outros três casais vão para se divertir e apanhar sol, mas rapidamente descobrem que também têm problemas nas suas relações e vêm-se forçados a participar na terapia de casais que o resort dispõe. De repente, o grupo descobre que a sua viagem tem um preço, e têm que enfrentar os problemas que todos os casais enfrentam no dia-a-dia... mas de uma forma hilariante.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Old Dogs - 2009

Dois grandes amigos -- um divorciado sem sorte ao amor e um solteiro e divertido pinga-amor -- vêem as suas vidas, literalmente, viradas do avesso quando, inesperadamente, se tornam responsáveis por dois gémeos de seis anos no momento em que estão perante o maior negócio das suas vidas.
Os inexperientes solteiros esforçam-se para conseguirem cuidar dos gémeos mas o resultado é um desastre, atrás do outro, e talvez a descoberta do que realmente é importante na vida…

domingo, 5 de dezembro de 2010

Austrália - 2008

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Finibanco no Montepio até Junho

30/11/10, 01:06
OJE

O Montepio prevê integrar o Finibanco ainda no primeiro semestre de 2011, depois de ter adquirido, na sequência da Oferta Pública de Aquisição (OPA), 99,63% do capital social do banco, afirmou o presidente do Conselho de Administração do Montepio, adiantando que não serão extintos postos de trabalho.

"O lucro é importante, mas preocupam-nos também as pessoas", disse António Tomás Correia aos jornalistas, após a sessão especial da Euronext Lisboa.

O banqueiro disse ainda que espera que, "no primeiro semestre de 2011", esteja concluída a integração das actividades do Finibanco no Montepio. A única excepção acontecerá em Angola, onde a marca Finibanco vai permanecer por ser já "conhecida e estimada".

Nesta OPA, o Montepio pagou 1,95 euros por cada acção, tendo gasto, na operação, mais de 335,6 milhões de euros, que terá de liquidar até 2 de Dezembro.

O Montepio necessitava de 75% do capital social do banco para garantir sucesso operação. Com a aquisição de mais de 90% das acções, terá agora de lançar uma OPA potestativa aos restantes 0,37%. A 26 de Agosto, o Conselho de Administração do Finibanco, liderado por Humberto da Costa Leite, aprovou por unanimidade a oferta.

O Montepio já tinha afirmado que espera que desta operação resultem sinergias de 70 milhões de euros a atingir, no máximo, em 18 meses, valores que podem ser ainda melhores.

"Nos trabalhos que fizemos, fomos conservadores - não quisemos falar em sinergias de que não tivéssemos a certeza. Só quando o negócio estiver concretizado e entrarmos no banco é que podemos ter uma perspectiva mais optimista", realçou António Tomás Correia.

O reforço do peso do crédito concedido a micro empresas e a Pequenas e Médias Empresas foi um dos trunfos da operação anunciados por Tomás Correia.

Fernando Pessoa morreu há 75 anos

Os 75 anos sobre a morte de Fernando Pessoa vão ser assinalados hoje com a exibição do "Filme do desassossego", obra de João Botelho inspirada no poeta, que decorrerá no Teatro Nacional São Carlos, em Lisboa. 

Fernando António Nogueira Pessoa, um dos maiores poetas de língua portuguesa de sempre, faleceu em 1935, em Lisboa, com 47 anos.

Aos sete anos foi viver com a mãe para Durban, na África do Sul, onde fez os estudos, o que lhe proporcionou dominar a língua inglesa, na qual escreveu três dos quatro livros que publicou em vida. Regressou a Portugal com 17 anos.

Além de tradutor e correspondente comercial, foi empresário, editor, crítico literário, tradutor, jornalista, inventor e publicitário, ao mesmo tempo que produzia a sua obra literária. "Mensagem" e "Livro do Desassossego".

A longa metragem inspirada na obra do poeta estreou-se no dia 29 de Setembro no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e está a fazer um circuito de exibição pela rede de cine teatros, teatros municipais e nacionais até, pelo menos, Janeiro. 
In TSF On line

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Irlanda pede ajuda à UE e ao FMI

A Irlanda tornou-se o segundo país da Zona Euro, após a Grécia, a recorrer ao resgate do exterior para enfrentar uma crise financeira. O ministro das Finanças, Brian Lenihan, anunciou ontem à tarde que iria recomendar a formalização de um pedido de ajuda ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e à União Europeia UE, no conselho de ministros extraordinário que começou pouco depois em Dublin.

"Vou recomendar que seja feito um pedido para beneficiarmos deste programa" de ajuda que a UE e o FMI criaram há seis meses, declarou Lenihan à estação de rádio pública RTE. "Os bancos tornaram-se num problema demasiado grande para o país. O dado-chave para o governo foi sempre garantir que não haverá um colapso do sector financeiro", explicou o ministro das Finanças.

O pedido formal para activar o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) deverá ser apresentado hoje, segundo avançou a Bloomberg. De acordo com a mesma agência, que citou uma fonte comunitária, os ministros das Finanças da UE iriam discutir, ontem à noite, por videoconferência, o pedido de ajuda da Irlanda, reunião essa que começou depois da hora de fecho do OJE.

Um acordo com a UE "deveria contribuir para reduzir as tensões", comentou à Bloomberg Juluan Callow, economista-chefe para a Europa do Barclays Capital, que estima o pacote de ajuda em 85 mil milhões de euros. "As preocupações com o sistema bancário irlandês estavam a alimentar os receios de contágio" a outros países. 

O ministro irlandês não se quis pronunciar sobre o montante da ajuda, indicando apenas que se trata de "dezenas de milhões de euros". Brian Lenihan garantiu, no entanto, que "não será certamente um número com três algarismos", ao contrário de algumas estimativas que davam conta de um valor compreendido entre os 40 e os 100 mil milhões de euros.
In Oje On line

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O Povo Português - Guerra Junqueiro - 1896

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta.
Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação, da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro.
Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País.
A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.
Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar."

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Crédito ao consumo: bancos cobram taxas acima do permitido

O Banco de Portugal (BdP) detectou vários casos de bancos que cobram taxas de juros acima do máximo permitido por Lei nos contratos de crédito ao consumo.

De acordo com a Síntese Intercalar de Actividades de Supervisão Comportamental, divulgada esta segunda-feira pelo BdP, 13 bancos «tinham efectivamente ultrapassado as taxas máximas aplicáveis», sendo que o «Banco de Portugal pondera as medidas sancionatórias adequadas a aplicar às instituições, incluindo a instauração de processo de contra-ordenação».

No plano imediato, o regulador determina «que as instituições de crédito em causa procedam à correcção das condições contratuais, através da redução dos encargos previstos».

«Dos 918.918 contratos reportados ao Banco de Portugal, no período de Janeiro a Agosto de 2010, foram identificados 1.138 contratos de 22 instituições com indícios de irregularidades quanto ao cumprimento da TAEG máxima em vigor para o respectivo segmento de crédito», pode ler-se no documento.

Recorde-se que o Banco de Portugal calcula e divulga trimestralmente, desde 1 de Janeiro de 2010, as taxas máximas que devem vigorar para as operações de crédito aos consumidores. Estas taxas máximas incluem não só os encargos com juros, mas também comissões e seguros exigidos pelas instituições, sendo definidas, por isso, com referência à Taxa Anual de Encargos Efectiva Global (TAEG). Para este efeito, as instituições enviam mensalmente ao Banco de Portugal todos os novos contratos de crédito a consumidores que celebraram no mês anterior.

No período em análise, 60 instituições de crédito enviaram ao Banco de Portugal cerca de 919 mil contratos (numa média de 115 mil contratos por mês).

Crédito à habitação com irregularidades

Mas nem só de crédito ao consumo se faz a análise do BdP. Vinte bancos receberam também advertências e determinações do regulador relativamente ao crédito à habitação.

Nos primeiros oito meses do ano foram realizadas 474 acções de inspecção abrangendo 42 instituições de crédito e, como consequência, «foram emitidas 99 advertências e determinações específicas dirigidas a 20 instituições de crédito, exigindo a correcção das irregularidades detectadas».

A maioria das advertências (56) incidiu sobre os reembolsos antecipados e 37 sobre a renegociação dos contratos. «As determinações emitidas incidiram sobretudo na exigência de correcção de irregularidades detectadas na comercialização dos créditos conexos, a que, desde de Outubro de 2009, passaram a aplicar-se novas regras em resultado da extensão do regime do crédito à habitação. As determinações para correcção das situações irregulares ou incumprimentos incidiram ainda em matérias como os contratos de crédito sinal, locação financeira ou crédito para construção de habitação», explica.
In Agência Financeira On Line

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Bancos devem clarificar informação dada aos cidadãos sobre crédito à habitação

Está em vigor, desde o passado dia 1 de Novembro, o Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010 que estabelece os deveres mínimos de informação prestada pelas instituições de crédito na negociação, celebração e vigência dos contratos de crédito à habitação.

domingo, 14 de novembro de 2010

Vettel vence em Abu Dhabi e é campeão mais jovem da F-1

Aos 23 anos e 134 dias, Vettel torna-se o piloto mais jovem a conquistar o título em 60 anos de história da categoria máxima do automobilismo.

Abu Dhabi Grand Prix - F 1

Sebastian Vettel celebrates winning the Abu Dhabi Grand Prix and his first drivers' title © Getty Images

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Organização Mundial da Família premeia Programa de Educação Financeira

O Programa de Educação Financeira foi distinguido pelo Comité Executivo da Organização Mundial da Família (OMF) que, reunido em Curitiba, no Brasil, deliberou atribuir ao Montepio o “Award 2010” e, por esta via, reconhecer o projecto educativo desenvolvido pela Instituição e o apoio que  prestam às organizações sociais.
A atribuição do galardão reveste-se de enorme importância, quer por já ter distinguido projectos e intervenções tão significativos como os promovidos pela delegação germânica da Cruz Vermelha ou pela Rainha da Jordânia, quer pelo objectivo que o inspira e que se traduz no reconhecimento do esforço que a  Instituição tem vindo a desenvolver em prol da promoção da qualidade de vida das populações, do desenvolvimento das comunidades e da literacia financeira.
O prémio será entregue a 5 de Dezembro, em Paris, no âmbito da “Cimeira +6” da OMF.
Clique aqui e saiba mais sobre a OMF.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Angola enfrenta novos desafios após 35 anos de independência

O MPLA proclamava há 35 anos em Luanda a independência de Angola, tendo como pano de fundo um clima de guerra civil que não cessará de se agravar até 1992, para, após breve interregno, ser retomada até 2002, quando é morto o principal líder da oposição, Jonas Savimbi, e o seu movimento está militarmente derrotado.

Se o regime fundado em 1975 por Agostinho Neto estava dependente de apoios externos para a sobrevivência, na lógica dos conflitos indirectos da Guerra Fria, Angola surge hoje como um possível motor da economia na África subequatorial e um actor regional de crescente importância.

Este é um aspecto que ficou claro com a visita do Presidente sul-africano Jacob Zuma, em Agosto de 2009. Destinada a assinalar o início de uma nova época nas relações bilaterais, da cimeira entre Zuma e o seu homólogo angolano, Eduardo dos Santos, resultaram acordos como aquele em que Luanda se compromete a fornecer petróleo à África do Sul em troca de apoio deste país para a reconstrução das suas infra-estruturas, além do reforço da cooperação política e diplomática, tornadas mais fáceis, segundo analistas regionais, pela relação pessoal entre Eduardo dos Santos e Zuma.

Um relacionamento que querem estender ao Brasil, membro da CPLP como Angola, e um dos principais parceiros económicos da África do Sul.

No plano das relações bilaterais, a relação luso-angolana tem sido considerada como essencial pelas duas capitais, atravessando actualmente o seu "melhor momento", como tem sido referido pelos respectivos representantes diplomáticos. A forte presença portuguesa em vários sectores da economia angolana e a afirmação dos capitais deste país em instituições nacionais, da banca à energia, reflectem aquela realidade.

Angola, como país devastado por uma guerra civil de quase 30 anos que fez cerca de 500 mil mortos, necessita de apoios para a sua reconstrução. O FMI disponibilizou uma linha de crédito, em 2009, na ordem dos mil milhões de euros para a concretização de projectos económicos e sociais.

Uma prioridade que passa, necessariamente, pela reconstrução das cidades e reabilitação da habitação clandestina nas periferias. Um projecto anunciado terça-feira por Eduardo dos Santos, cuja primeira fase será a substituição dos bairros clandestinos de Cazenga e de Sambizanga na capital angolana por habitação social.

Quase 90% da população urbana em Angola vive em construções clandestinas e apenas 42% tem acesso a água potável, segundo um relatório da UNICEF em Junho. Este é um dos sinais da tremenda desigualdade na distribuição de riqueza entre os 18,5 milhões de angolanos.

Em paralelo com este problema, a corrupção continua endémica em Angola, tendo o mais recente relatório da Transparência Internacional considerado este país como um dos dez mais corruptos no mundo.

Realidade reconhecida por Eduardo dos Santos no seu primeiro discurso do Estado da Nação, a 15 de Outubro, perante a Assembleia Nacional, uma novidade resultante da revisão constitucional que reforça os poderes presidenciais. "O combate à fome e a luta pela redução e erradicação da pobreza (...) constituem dois dos maiores desafios que se colocam hoje ao Estado angolano", disse o Presidente. Este é o grande desafio a vencer hoje por Angola.

domingo, 7 de novembro de 2010

Brazilian Grand Prix - F 1

Sebastian Vettel celebrates winning the Brazilian Grand Prix, Interlagos, Sao Paulo, November 7, 2010
© Getty Images

Miracle at St. Anna - 2008 - Spike Lee

Christmas, 1983. A New York postal clerk, a Buffalo Soldier in Italy in World War II, shoots a stranger. In his apartment, police find a valuable Italian marble head, missing since the war. Flashbacks tell the story of four Black soldiers who cross Tuscany's Serchio River, dodging German and friendly fire. With a shell-shocked boy in tow, they reach the village of Colognora. Orders via radio tell them to capture a German soldier for questioning about a counteroffensive. In the village, a beautiful woman, partisans that include a traitor and a local legend, the boy, and the story of a recent massacre connect to the postal worker's anguish forty years later. And the miracle? Written by   

sábado, 6 de novembro de 2010

Soneto quase inédito - José Régio - 1969

Poema enviado pela amiga Mágui, com a nota da sua actualidade.

Surge Janeiro frio e pardacento,
Descem da serra os lobos ao povoado;
Assentam-se os fantoches em São Bento
E o Decreto da fome é publicado.


Edita-se a novela do Orçamento;
Cresce a miséria ao povo amordaçado;
Mas os biltres do novo parlamento
Usufruem seis contos de ordenado.

E enquanto à fome o povo se estiola,
Certo santo pupilo de Loyola,
Mistura de judeu e de vilão,

 
Também faz o pequeno "sacrifício"
De trinta contos - só! - por seu ofício
Receber, a bem dele... e da nação.
  


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

OPA sobre Finibanco termina dia 26

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) aprovou ontem o registo da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo Montepio sobre a totalidade do capital do Finibanco.
De acordo com a deliberação, a OPA começa hoje e termina no próximo dia 26, com a sessão especial de bolsa, para apuramento dos resultados da oferta, a ocorrer "previsivelmente a 29 de Novembro", refere o comunicado ontem emitido pela autoridade de supervisão dos mercados.
A OPA, anunciada em finais de Julho, está subordinada à aquisição, por parte do Montepio, de um número de acções que representem, pelo menos, 75% dos direitos de voto do Finibanco.
A contrapartida oferecida é de 1,95 euros por acção, o que terá um investimento total de 341 milhões de euros, caso a instituição mutualista adquira a totalidade do capital social do Finibanco.
O intermediário financeiro responsável pela assistência à oferta é a Caixa Económica Montepio Geral, refere ainda o comunicado da CMVM.
No passado dia 25 de Outubro, a Autoridade da Concorrência tinha manifestado a sua não oposição à operação, depois de ouvidos o Banco de Portugal e o Instituto de Seguros de Portugal.
In DN Online

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A Autoridade da Concorrência dá luz verde à compra do Finibanco

A Autoridade da Concorrência (AdC) autorizou hoje a operação de concentração entre o Montepio e o Finibanco, considerando que a mesma não cria, nem reforça, uma posição dominante que traga entraves à concorrência no sector financeiro.
«A Autoridade da Concorrência decidiu não se opor à concentração Montepio/Finibanco, notificada pelo Montepio na sequência do anúncio preliminar de lançamento da oferta Pública de Aquisição (OPA) geral e voluntária sobre as acções representativas do capital social do Finibanco, por entender que a mesma não é susceptível de criar ou reforçar uma posição dominante da qual possam resultar entraves significativos à concorrência efectiva nos mercados identificado»", anunciou hoje a AdC.
O Montepio comunicou a OPA à CMVM no final de Julho, oferecendo 1,95 euros por cada acção do Finibanco, num total de 341,25 milhões, condicionando a oferta à compra de pelo menos 75 por cento do capital.
Segundo a AdC, «a avaliação jus-concorrencial da operação de concentração incidiu sobre um conjunto de 23 mercados relevantes, relativos às diferentes áreas de atividade das duas instituições, designadamente, as actividades de oferta de produtos e serviços bancários a particulares e pequenos negócios, de oferta de produtos e serviços bancários a Pequenas e Médias Empresas (PME), de cartões de pagamento e de seguros».
Nas actividades de oferta de produtos e serviços bancários (tanto a particulares e pequenos negócios, como a PME) e de gestão de Fundos Mobiliários e Imobiliários, «a análise efectuada à posição das partes envolvidas não suscitou quaisquer preocupações jus-concorrenciais», informou a AdC.
«Esta análise teve presente que, na banca universal em Portugal, existe um conjunto de instituições de crédito de dimensão superior à das participantes na operação de concentração», explicou.
De igual forma, nos mercados relevantes identificados na área de actividade dos cartões de pagamento, "a quota de mercado do Montepio e do Finibanco não antecipa preocupações de natureza jus-concorrencial", sublinhou a AdC.
In TSF on line
No que respeita à área dos seguros, a AdC considerou que «também não foram detetados problemas de natureza concorrencial decorrentes da operação de concentração em causa, quer no que respeita aos mercados dos segmentos Vida, quer ainda no mercado nacional de prestação de serviços de mediação».
De acordo com a entidade liderada por Manuel Sebastião, «no âmbito da operação, foi solicitado parecer ao Banco de Portugal, ao Instituto de Seguros de Portugal e à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, reguladores que remeteram dados para efeitos da análise da AdC, tendo o Banco de Portugal e a CMVM considerado, em relação aos mercados sob sua supervisão, que a operação não provoca uma alteração significativa na estrutura de mercado».
A partir deste momento o Montepio já pode fazer o registo formal da OPA, uma vez que já poderá entregar à CMVM o documento com a decisão da AdC que o supervisor estava à espera e a entidade liderada por Carlos Tavares dispõe de oito dias para se pronunciar sobre a operação.

domingo, 24 de outubro de 2010

Korean Grand Prix - F 1

1. Fernando Alonso (Ferrari)
2. Lewis Hamilton (McLaren)
3. Felipe Massa (Ferrari)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O Regresso da economia da depressão e a crise actual - Paul Krugman

Para se perceber a crise. Muito bom.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Autoridade da Concorrência ultima aprovação da OPA do Montepio ao Finibanco sem condições

A Autoridade da Concorrência (AdC) está a ultimar a decisão sobre a compra do Finibanco por parte do Montepio, preparando-se para aprovar a operação sem impor condições. A "luz verde" ao negócio deverá ser anunciada "muito em breve", como admitiu Manuel Sebastião (na foto), presidente do regulador, no Parlamento, há duas semanas.

Segundo soube o Negócios, a AdC não pediu à associação mutualista que apresentasse qualquer proposta de "remédio" como contrapartida para dar "luz verde" à operação de concentração. E os esclarecimentos que o regulador foi solicitando ao Montepio também não faziam qualquer referência à imposição de condições.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Prémio Nobel da Economia 2010

A Academia de Ciências Suecas atribuiu o Prémio Nobel da Economia 2010 a Peter Diamond, Dale Mortensen e Cristopher Pissarides, pelo trabalho desenvolvido sobre o método de análise de mercados.
Os norte-americanos Peter e Dale e o cipriota Cristopher desenvolveram uma teoria de análise de mercado que permite explicar como é que o desemprego, vagas de trabalho e o salário são afectados pela política económica, tendo desenvolvido fórmulas matemáticas que permitem comprovar a influência das políticas económicas na sociedade.
Os três vão dividir o prémio de 10 milhões de coroas suecas, cerca de 1 milhão de euros.

domingo, 10 de outubro de 2010

Japanese Grand Prix - F 1

Sebastian Vettel celebrates victory at Suzuka, Japanese Grand Prix, Suzuka, October 10, 2010

sábado, 9 de outubro de 2010

John Lennon faria hoje 70 anos

O mundo celebra hoje o 70º aniversário do nascimento de John Lennon, quase 30 anos depois do músico ter sido assassinado, em Nova Iorque. Para assinalar a data, (9 de Outubro de 1940) foi lançada uma edição remasterizada dos álbuns a solo e, em Liverpool, há exposições, espectáculos e a inauguração de um monumento em homenagem ao Beatle.

In TSF on line

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Nobel da Literatura para Mario Vargas Llosa

O nome de Mario Vargas Llosa foi anunciado ao meio-dia pela Academia Sueca, que atribuiu ao escritor peruano o Prémio Nobel da Literatura deste ano.
Mario Vargas Llosa nasceu a 28 de Março de 1936, em Arequipa, Peru. Com o divórcio dos pais, crescey com a a mãe e avô na Bolívia.
Na nota biográfica disponibilizada pela Academia Sueca, lê-se que a família do escritor voltou para o Peru quando ele tinha 10 anos e estabeleceu-se em Lima. Vargas Llosa frequentou aí uma escola católica, antes de ser enviado para uma escola militar.
O agora Nobel estudo direito e literatura, e, entre outras ocupações, ensinou inglês em Paris e foi jornalista da France Press.
Da sua vasta e conhecida obra constam Conversa na Catedral, A Guerra do Fim do Mundo, A Festa do Bode, Os Chefes e ainda o ensaio García Márquez: Historia de un Deicidio.
O grande favorito ao galardão era o escritor e poeta sueco Tomas Transtromer, mas da lista dos possíveis vencedores constavam nomes como Philip Roth ou Cormac McCarthy.
In Visão On Line

Bancários 'dão' 100 milhões à Segurança Social

A integração dos bancários admitidos antes de 3 de Março de 2009 no regime geral da Segurança Social contemplará apenas o pagamento dos subsídios de parentalidade e de velhice (pensões de reforma).
Este foi o acordo alcançado entre banca, sindicatos e Governo, que deverá ser fechado amanhã, no Ministério do Trabalho.
Com a transferência apenas destas duas eventualidades, o orçamento da Segurança Social passa a receber anualmente "pouco mais de 100 milhões de euros", como referiu ao DN Delmiro Carreira, presidente do Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI) e coordenador do grupo de trabalho sindical que está envolvido nesta negociação.
Em termos de contribuições para a Segurança Social, os bancários vão manter o desconto de 3%, que deixa de ser feito para a Caixa de Abono de Família dos Empregados Bancários (CAFEB) e transita para os cofres públicos. Para as entidades patronais, os bancos, os descontos passam de 11% para 23,61%.
Estes bancários que agora passam para o regime geral (desde que admitidos depois de 1 de Janeiro de 1995) mantêm a contribuição de 5% para os respectivos fundos de pensões, que complementarão as suas reformas, na medida em que se encontra contratualizada. "Nenhuma contribuição para os fundos passa para a Segurança Social", sublinha Delmiro Carreira. Para o patronato, o aumento da sua contribuição será compensada a prazo, com a redução do esforço financeiro para os fundos, uma vez que parte das pensões que pagam passam para a Segurança Social.
A banca continua, como até agora, a pagar os subsídios de baixa por doença, invalidez e morte, inscritos nos seus encargos com pessoal.
Este acordo tripartido vai ficar contemplado no Orçamento de Estado para 2011, através de uma autorização legislativa, que prevê a criação da correspondente legislação. Isto porque estas regras pressupõem uma derrogação ao Código Contributivo.
Este era o passo que faltava para integrar todos os bancários no regime geral da Segurança Social. Alguns bancos, como o Santander Totta ou as caixas agrícolas, estiveram sempre no regime geral. A partir de Março de 2009, os novos bancários que entraram no sector passaram a descontar para este regime.
In DN OnLine

terça-feira, 5 de outubro de 2010

domingo, 3 de outubro de 2010

7º título mundial de ralis para Sebastian Loeb

Sébastien Loeb venceu o Rali de França e confirmou há pouco o seu sétimo título mundial de Ralis, aumentando dessa forma um recorde que já era seu. Por falar em recordes, esta é a 60ª vitória do francês no WRC.
O melhor piloto de Ralis de sempre?

Em 11 anos de carreira no Campeonato do Mundo de Ralis, Sébastien Loeb só por três vezes não chegou ao topo da pirâmide. A matemática é um forte argumento para o classificar como o melhor piloto de ralis de todos os tempos. Mas há sempre resistentes. "Ah...nos anos 80, os troços tinham 40 quilómetros, os super Grupo B 600 cavalos, não havia ajudas eletrónicas e havia muitos mais Walter(s) Röhrl e Markku(s) Alen, blá blá blá, blá blá blá...". Sim. É difícil estabelecer comparações com outras épocas.

Mas não falarão os números por si? Nunca nenhum piloto conseguiu mais do que quatro campeonatos consecutivos e Loeb já vai no sétimo. Com esta vitória 'dobrou' os triunfos do segundo piloto mais vitorioso de sempre (Marcus Gronholm), que tem 30 vitórias! Em pouco mais de uma década, o piloto da Citroën Racing bateu todos os grandes vultos de duas gerações de pilotos, desde Makinen a Burns, passando por Solberg, Gronholm, Hirvonen e agora o próximo D. Sebastião...Ogier. E para quem argumentar que dispunha de um carro superior, Loeb também tem resposta à altura: e então Sainz e McRae que lutaram com um Xsara igual e foram inapelavelmente batidos?

As evidências, falam por si. E agora um novo desafio...chama-se... Loeb ou, se quisermos, por outras palavras, superar-se a si mesmo, tendo como meta os seus próprios recordes, arriscando-se com tamanha hegemonia em dar um tiro no próprio pé ou seja, em ajudar à morte lenta da própria disciplina. Não estivessem previstas a curto prazo, mudanças radicais no WRC, nomeadamente, com a entrada em cena da segunda geração dos World Rally Car, teoricamente, mais equilibrados, e, portanto, obrigando a outro tipo de provas, e poder-se-ia dizer que Loeb nada mais tinha a provar. Mas ele ainda aí está para o ano, pelo que vamos poder ver como é em carros teoricamente mais equilibrados. Caso Ogier cresça, solberg continue motivado para vencer, e  Hirvonen e Latvala ganhem nova motivação com o Fiesta WRC temos todos os condimentos para um WRC 2011 fabuloso...
In AutoSport OnLine

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Ministra da Educação associa-se à Fundação Montepio e distingue inovação de projectos educativos

O “Prémio Escolar Montepio”, iniciativa que conta com o alto patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, foi entregue hoje, no auditório do edifício-sede do Montepio Geral, em cerimónia presidida pela Ministra da Educação, Dra. Isabel Alçada.
No propósito de distinguir o bom desempenho dos estabelecimentos de ensino do nosso País, estimular a apresentação de projectos educativos inovadores e orientados para a melhoria das condições de aprendizagem e promover a disseminação de boas práticas, a Fundação Montepio elegeu os projectos que, nos últimos três anos, promoveram melhorias mais acentuadas nos resultados dos exames do 9.º ano de escolaridade e convidou 50 estabelecimentos de ensino a concorrer ao “Prémio Escolar Montepio”.
Das 12 candidaturas recebidas, o júri – constituído pela Professora Doutora Manuela Silva, Professor Doutor David Justino, Professor Doutor Nuno Crato, Dr. Guilherme Valente, Dr. José da Silva Lopes e Dr. Henrique Monteiro – destacou a qualidade, a inovação e o impacto esperado dos projectos apresentados pelo Agrupamento de Escolas Coura e Minho (Caminha), pela Escola Básica Integrada de Santa Catarina da Serra (Fátima), pela Escola Básica e Secundária de Santa Cruz (Região Autónoma da Madeira) e pelo Agrupamento de Escolas Bento Carqueja (Oliveira de Azeméis), que receberão um prémio no valor unitário de 25 mil euros.

domingo, 26 de setembro de 2010

Singapore Grand Prix F 1

Champagne flows as Fernando Alonso celebrates his victory, Singapore Grand Prix, Marina Bay, September 26, 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Lisboa: Assembleia Municipal defende novo hospital pediátrico na capital

Lisboa, 21 Set (Lusa) - A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou hoje, por unanimidade, uma moção a defender a criação de um novo hospital pediátrico na capital, caso seja inviável a manutenção do Dona Estefânia.
Na moção, apresentada inicialmente pelos deputados independentes e subscrita por diversas forças políticas, os deputados, ao proporem uma construção de raiz, sugerem igualmente a anulação da intervenção já tornada pública de incorporar os serviços actualmente no Dona Estefânia no novo Hospital de Todos-os-Santos.
Os deputados solicitam igualmente à Câmara de Lisboa que, em sede de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM), disponibilize um terreno para a construção do novo hospital pediátrico.
In Expresso On Line

sábado, 18 de setembro de 2010

Papa associa ateísmo a nazismo e abre nova polémica

O segundo dia da visita de Bento XVI ao Reino Unido fica marcado por declarações polémicas. No seu discurso em Edimburgo, o Papa falou de uma "tirania nazi que quis erradicar Deus da sociedade". A Igreja Católica já tentou acalmar os ânimos

11:20 Sexta feira, 17 de Set de 2010
"Lembramo-nos de como a Bretanha e os seus líderes fizeram frente à tirania nazi que queria erradicar Deus da sociedade e negava a nossa humanidade comum a muitos, especialmente os judeus, que julgava indignos da vida", afirmou Bento XVI, na quinta-feira, perante a rainha Isabel II.
A Associação Humanista da Grã-Bretanha apressou-se a classificar as declarações do Papa como "surreais". "A ideia de que foi o ateísmo dos nazis que os levou ao extremismo e a visões cheias de ódio, ou que [o ateísmo] de alguma forma alimenta a intolerância na Grã-Bretanha hoje é uma calúnia terrível contra aqueles que não acreditam em Deus", afirma a associação.
"A noção de que são as pessoas não-religiosas no Reino Unido que hoje querem impor suas opiniões - vinda de um homem cuja organização se empenha internacionalmente em impor sua forma estreita e exclusivista de moralidade, além de enfraquecer os direitos humanos de mulheres, crianças, gays e muito outros - é surreal."
Perante a repercussão das declarações do papa, um porta-voz do Vaticano tentou minimizar a polêmica. Federico Lombardi disse que Bento 16 "sabe muito bem do que se trata a ideologia nazista".
In Visão OnLine
Meu Comentário: Coitado. Começo a  ter pena dele e dos seus seguidores. Numa altura em que são descobertos padres pedófilos, todos os dias, vir com esta ideia, é o principio do fim da igreja católica.

domingo, 12 de setembro de 2010

G P Itália - F 1

Ferrari volta a vencer em casa depois de 2006.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

PLATAFORMA CÍVICA EM DEFESA DE UM NOVO HOSPITAL PEDIÁTRICO PARA LISBOA

A Plataforma Cívica em Defesa do Património do Hospital de Dona Estefânia e de um Novo Hospital Pediátrico para Lisboa, após 2 anos de insistentes pedidos, vai ser recebida no Ministério da Saúde pela DrªAna Jorge, hoje dia 9 de Setembro às 15.30 h.

Esta reunião, vem na sequência de cerca de 2 anos de acções de sensibilização da Plataforma Cívica que tem como um dos mentores o Professor António Gentil Martins e é constituída por médicos pediatras e de outras especialidades ligadas à criança, técnicos de saúde, pais e cidadãos preocupados com o futuro dos cuidados de saúde prestados às crianças da Área Metropolitana de Lisboa e Sul do país, face à intenção do Governo de proceder ao encerramento do Hospital Pediátrico de Lisboa (Hospital de Dona Estefânia) e “substituí-lo” por um simples serviço de pediatria inserido num hospital de adultos a construir na zona de Chelas, num retrocesso técnico e civilizacional sem precedentes.

Esta atitude discricionária para as crianças de Lisboa, contrariando a tendência no mundo civilizado, contrasta com a politica do próprio ministério que vai inaugurar a muito breve prazo o novo Hospital Pediátrico de Coimbra e se bate vigorosamente com a autarquia do Porto para ai se poder também construir um novo hospital pediátrico, para além da já anunciada construção de um segundo hospital pediátrico no Porto em estreita relação com o Hospital de São João.  

Neste período foi possível constatar muitos apoios à causa das crianças de Lisboa e do seu hospital pediátrico e contra a assistência à criança integrada num dos departamentos do hospital geral de Chelas que hipotecaria, por várias gerações, a qualidade dos cuidados prestados à maioria das crianças e adolescentes, em especial os portadores de doenças mais graves ou complexas. Entre os factos mais significativos, destacamos:

- Petição púbica ao Presidente da República com mais de 76.000 assinaturas.
- Petição pública à Assembleia da Republica com mais de 6.000 assinaturas
- Apoio expresso em Plenário da maioria dos partidos da Assembleia da República (excepto PS)
- A unanimidade da Comissão de Saúde da AR (incluindo o PS) expressa no seu relatório sobre o tema.
- Apoio expresso da maioria das forças políticas representadas na Câmara Municipal de Lisboa
- Apoio expresso de Juntas de Freguesia do Concelho de Lisboa
- Votação favorável de 96,1% dos profissionais do Hospital de Dona Estefânia num inquérito anónimo em urna efectuado por entidade independente
- Apoio de inúmeras personalidades da sociedade civil respeitadas em várias áreas da ciência e da protecção à criança
- A Assembleia Municipal de Lisboa – aprovando por unanimidade a moção favorável ao desenvolvimento de um novo Hospital Pediátrico autónomo de Lisboa
- A Secção Sul da Ordem do Médicos

A manter-se, a decisão anunciada do Ministério da Saúde terá claros prejuízos para a investigação e tratamento de doenças específicas do foro infantil, colocando ainda em risco toda a lógica de tratamento e atendimento dedicado à criança, que só um novo hospital pediátrico autónomo poderá garantir. Seria um erro que, cometido agora, perduraria por gerações e gerações de crianças.

Estamos convictos que as autoridades portuguesas sabem bem que as crianças  não são adultos em miniatura, que têm necessidades próprias e direitos inalienáveis, e que, seguramente, serão sensíveis à necessidade de termos um novo Hospital para crianças, em Lisboa, autónomo, tecnologicamente evoluído, com profissionais especializados, e inteiramente dedicados ao apoio aos seus problemas globais, físicos e espirituais, preferencialmente localizado junto ao novo Hospital Geral, a construir em Marvila.  A Medicina não pode limitar-se à técnica mas nela é essencial o ambiente humano e neste caso o imprescindível “ambiente pediátrico” típico dos hospitais dedicados às crianças.

Ao invés do Ministério da saúde, a Plataforma Cívica defende dois objectivos essenciais:
1 - Por um lado, reconhece a necessidade de projectar uma nova infra-estrutura para o futuro, pugnar pela criação de um novo hospital pediátrico autónomo e exclusivamente dedicado aos cuidados à criança, ainda que fisicamente perto de um grande hospital de adultos na Capital. Defende pois um novo Hospital moderno e AUTÓNOMO, tecnologicamente evoluído e com profissionais especializados, dedicados ao apoio aos problemas globais (físicos e psico-emocionais) das crianças. Esse novo hospital deveria, em homenagem à visão inovadora da Rainha D.ª Estefânia e à identificação do colectivo da população com os valores da sua cidade, continuar a chamar-se de "Hospital de Dona Estefânia".

2 - A Manutenção do espaço onde funciona o actual Hospital de Dona Estefânia, como um espaço dedicado à criança, à promoção da sua condição especial, às suas instituições de protecção e até à prestação de cuidados e tratamentos a crianças com doenças crónicos ou deficiências, mantendo-se assim os objectivos que presidiram à doação dos terrenos.








quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Clientes do Montepio alvo de tentativa de fraude electrónica

Os clientes do Montepio estão a ser alvo de uma tentativa de phishing (fraude electrónica que tem como objectivo adquirir informações confidenciais), confirmou à Lusa fonte oficial do banco.
«O Montepio tem conhecimento da situação e está a acompanhá-la desde que a mesma lhe foi reportada, tendo desenvolvido esforços para a minimização do impacto que acções destes tipo possam originar», disse fonte oficial do banco.
«Este email configura-se como uma acção de 'phishing' tendo por objectivo captar informação privada de eventuais clientes Montepio que tenham sido receptores do email na sua caixa de correio electrónico», acrescentou.
Segundo a mesma fonte, «a selecção do botão existente no email fraudulento iria despoletar a instalação de um 'malware' no computador do leitor do email, 'malware' esse que teria por objetivo captar dados privados do utilizador».
De acordo com o Montepio, «as instituições bancárias nunca solicitam a introdução de todos os elementos de segurança dos utilizadores na utilização dos seus serviços, nem comunicam eventuais alterações de segurança por email».
Assim, «imediatamente após a tomada de conhecimento da difusão do email, o Montepio reforçou a comunicação com os seus clientes, alertando para a situação em curso», tendo já reportado a situação às autoridades competentes.
O Montepio refere assim que os clientes do banco, «tal como qualquer outro cliente bancário utilizador de serviços de online banking, deverão seguir as instruções de segurança indicadas pelas instituições financeiras».
Em meados de Agosto, também os clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD) foram vítimas de uma tentativa de 'phishing", conforme anunciou na altura a ESET, empresa que desenvolve soluções de segurança informática.
In TSF OnLine

domingo, 29 de agosto de 2010

Belgian Grand Prix - F 1

Lewis Hamilton celebrates winning the Belgian Grand Prix for the first time © Getty Images
1. Lewis Hamilton (McLaren)
2. Mark Webber (Red Bull)
3. Robert Kubica (Renault)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Portugal é fogo que arde sem se prever - Ricardo Araújo Pereira

É todos os anos a mesma coisa: chega o verão e começam os incêndios, os jornalistas fazem reportagens em direto à frente das chamas, os bombeiros queixam-se da falta de meios, os comentadores perguntam como é possível que ninguém se tenha lembrado de limpar as florestas e há sempre um parvo que assinala que é todos os anos a mesma coisa. Cada um tem a sua função nesta farsa - e a minha, pelos vistos, é esta.
O aspeto mais intrigante dos incêndios de verão é a aparente surpresa com que acolhemos um fenómeno que é recorrente e pontual. Não há nada mais previsível do que os fogos em agosto, e no entanto continuam a abrir telejornais. Todos os anos Portugal escorrega na mesma casca de banana, e é sempre notícia. Trata-se de uma tradição que sobressalta.
Toda a gente está preparada para a Volta a Portugal em Bicicleta, mas ninguém espera a Volta a Portugal em Carro de Bombeiros, que decorre todos os verões exatamente na mesma altura. Imagino que, nas redações, os jornalistas tenham uma minuta com o modelo da reportagem e as questões que é preciso colocar a populares, bombeiros e ao ministro da Administração Interna. No final de julho, tiram a minuta da gaveta e dirigem-se para onde houver labaredas. O espetador tem a sensação de estar a ver sempre o mesmo jornalista, o mesmo bombeiro, e o mesmo ministro da Administração Interna. Não são reportagens, é uma peça de teatro. E está em cartaz há mais tempo que Te Mostrar em Londres.
JORNALISTA: Estamos aqui em [colocar nome da localidade], onde um violento incêndio está a consumir a floresta e começa a ameaçar algumas casas. Comigo tenho o comandante [nome do bombeiro]. Sr. comandante, qual é o ponto da situação?
BOMBEIRO: Olhe, com os meios que temos estamos a fazer o melhor possível. O batalhão é pequeno e, além disso, precisávamos de mais dois camiões cisterna e dava-nos jeito um helicóptero.
JORNALISTA: Aproveito então para falar com o ministro da tutela, que também tenho junto a mim. Sr. ministro, o que é que está a ser feito para prevenir este desastre?
MINISTRO: Disse desastre? Costuma ser flagelo.
JORNALISTA: Tem razão. Desastre é para as cheias. Peço desculpa. O que é que está a ser feito para prevenir este flagelo?
MINISTRO: Estamos a trabalhar no sentido de criar condições que permitam promover um esforço muito sério com vista a desenvolver mecanismos que conduzam ao reforço das infraestruturas. E recordo que a área ardida este ano é menor que a do ano passado.
JORNALISTA: Obrigado, sr. ministro. Adeus e até para o ano no mesmo sítio e à mesma hora.
E depois cai o pano. Os atores recolhem aos bastidores e a plateia boceja. O incêndio continua a queimar tudo, incluindo o papel onde os responsáveis apontaram que, para o ano, é mesmo necessário limpar as matas. Os únicos metros quadrados que não ardem são aqueles em que as estações de televisão montam o tripé para o jornalista entrevistar os bombeiros e o ministro. O resto costuma desaparecer, até porque Portugal parece ser um país que tem mais pirómanos por metro quadrado do que árvores. A vida também está difícil para eles. A quantidade de pirómanos residentes em território nacional sugere que, no nosso país, aquela máxima sobre a plena realização pessoal foi ligeiramente adaptada. Aqui, ao que parece, só tem uma vida verdadeiramente completa o cidadão que tiver um filho, escrever um livro e queimar uma árvore.
In Visão On Line

Barclays despede cerca de 500 trabalhadores em todo o mundo

11/08/10, 17:43
OJE/Lusa

O Barclays Capital planeia cortar cerca de 300 funcionários de back office e poderá vir a eliminar mais 200 contratados depois de um abrandamento da actividade, de acordo com a agência de informação Bloomberg.
O grupo Barclays tem vindo a expandir a sua unidade de investimentos, o Barclays Capital, desde a compra em 2008 das operações do banco Lehman Brothers nos EUA. Os custos deste departamento, liderado por Robert Diamond, subiu em um terço depois de o banco ter recrutado mais 1.100 funcionários em 2010.
As receitas do Barclays Capital caíram 32% no primeiro semestre. "Alguma racionalização das funções administrativas é perfeitamente plausível", disse à agência financeira Bloomberg Ian Gordon, analista do Exane BNP Paribas.
Ao todo, o grupo Barclays emprega 25.500 pessoas em todo o mundo, e espera durante este ano aumentar até 10% o número de funcionários devido à sua expansão para a Ásia e reforço das unidades de consultoria na Europa.

sábado, 7 de agosto de 2010

Consórcio português cria fato de bombeiro inteligente

Um consórcio que junta várias empresas portuguesas deu a conhecer dois protótipos de um fato de bombeiro inteligente que é mais leve e alerta o utilizador para as principais ameaças em redor.

Os protótipos agora apresentados à imprensa forma desenvolvidos em parceria entre o Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil do Vestuário de Portugal (CITEVE), o Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CENTI), as empresas têxteis e vestuário A. Sampaio & Filhos, António de Almeida & Filhos, Lemar e Actijob.
Segundo comunicado da Unilever Jerónimo Martins, que apoia o projeto, o primeiro fato de bombeiros made in Portugal distingue-se por uma estrutura multicamada e pela multifuncionalidade que permite selecionar os vários módulos de vestuário de acordo com os vários cenários de atuação.
O consórcio desenvolveu ainda um protótipo que, além dos materiais cómodos que facilitam a adaptação aos vários cenários de incêndio, monitoriza a temperatura e os níveis de monóxido de carbono do ambiente em redor e lança alertas sempre que estes índices põem em risco a saúde do bombeiro.
O projeto já se candidatou a fundos comunitários através do QREN.
In Exame Informática

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Só Montepio assume interesse no BPN

O Montepio "quer conhecer as condições da privatização do BPN" e "vai levantar o caderno de encargos", avançou ao Negócios Tomás Correia, presidente da instituição mutualista que tem neste momento em curso uma oferta pública de aquisição sobre o Finibanco. 
Apesar desta operação de compra, avaliada em 340 milhões de euros, o Montepio vai acompanhar o processo de privatização do BPN.
O Governo aprovou ontem uma resolução que aprova o caderno de encargos do concurso público de reprivatização da instituição financeira, estipulando em 180 milhões de euros o seu valor base. Um preço sobre o qual Tomás Correia não faz comentários.
In Jornal Negócios On Line

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

O Plano do Montepio para o Finibanco

Tomás Correia explicou hoje o que irá fazer se o Montepio conseguir comprar o Finibanco.
"Ao nível dos balcões e actividades, o Montepio vai absorver a marca Finibanco", disse hoje o presidente do Montepio Geral durante uma conferência de imprensa.
Na mesma ocasião, Tomás Correia garantiu que o negócio do Finibanco em Angola é para manter e que aí não haverá mudanças na marca. "A operação de Angola é para manter e desenvolver e fica com o nome Finibanco", assegurou.
Tomás Correia anunciou ainda que será criada uma rede específica para clientes empresariais, dado que se o Montepio conseguir comprar o Finibanco "vamos ficar com uma quota de 5,5%, o que justifica uma rede para empresas".
Em termos de postos de trabalho, o presidente do Montepio garantiu que não haverá quaisquer despedimentos.

domingo, 1 de agosto de 2010

Hungarian Grand Prix - F 1

A delighted Mark Webber celebrates victory on the podium © Getty Images
1. Mark Webber (Red Bull)
2. Fernando Alonso (Ferrari)
3. Sebastian Vettel (Red Bull)

Conferência de hackers foi ... pirateada

Está a decorrer a Black Hat nos EUA, uma conferência de hackers. O chefe de segurança da Mozilla conseguiu piratear o sinal de vídeo da conferência.

In Exame Informatica 

 

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Montepio vai comprar Finibanco

O Montepio Geral vai adquirir o Finibanco, cujas ações se encontram suspensas em bolsa. A informação foi adiantada à Lusa por fonte conhecedora do processo, que pediu anonimato.  O negócio pode representar um investimento de mais de 250 milhões de euros.
Quando a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários decretou a suspensão da negociação, as ações do Finibanco estavam a subir 13,85% para 1,48 euros, atingindo assim o valor mais alto desde 14 de abril.

domingo, 25 de julho de 2010

German Grand Prix 2010 - F 1

An awkward moment on the podium © Getty Images

sábado, 24 de julho de 2010

Bancos portugueses aprovados nos testes de esforço

Os quatro bancos portugueses analisados (CGD, BCP, BPI e Espírito Santo Financial Group) nos testes de esforço realizados à escala europeia estão em condições de enfrentar condições adversas no mercado e não necessitam de reforçar capital. As conclusões divulgadas há instantes colocam o BPI como o mais resistante do sistema bancário português face às hipóteses colocadas de evolução adversa de variáveis como a cotação das ações, do crescimento económico ou das taxas de juro.
As instituições que representam cerca de dois terços dos ativos do sistema bancário passaram no exercício e todas mantém um rácio de capital Tier 1 acima dos 6% quando expostas a cenários adversos. Isto apesar do valor regulamentar ser de 4%. 
No caso do BPI, o rácio mantém-se em 10,2% mesmo no caso em que se considera um choque adicional relacionado com o agravamento do risco de dívida soberana. CGD, Espírito Santo e BCP têm valores de, respectivamente, 8,2%, 6,7% e 8,4%.   
"Os resultados agora publicados confirmam a solidez do sistema bancário português quando sujeito a um cenário muito adverso que corrobora as conclusões de exercícios que o Banco de Portugal tem feito de forma regular", referiu o Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, em conferência de imprensa. 

In Expresso On Line

domingo, 18 de julho de 2010

Nelson Mandela comemora este domingo 92 anos

O primeiro presidente negro da África do Sul e prémio Nobel da Paz, Nelson Mandela, comemora hoje 92 anos de idade e por todo o mundo assinala-se pela primeira vez o Dia Nelson Mandela, instituído pela ONU.
O Dia Nelson Mandela, o primeiro de sempre dedicado a uma pessoa, foi instituído pela Assembleia-Geral das Nações Unidas em Novembro de 2009 pela «contribuição do ex-presidente sul-africano para a cultura, paz e liberdade».
As comemorações começaram este sábado com a chegada de 92 meninos das proximidades da aldeia de Mvezo, onde nasceu Nelson Mandela, à capital sul-africana para cantarem os parabéns ao ex-presidente sul-africano.

Nelson Mandela comemorará o aniversário com a família, mas na África do Sul e em outros países, centenas de milhares de pessoas participarão na campanha "Oferece 67 minutos de trabalho" voluntário, o que corresponde a cada minuto por cada ano que Mandela dedicou à luta pela liberdade e igualdade.
Na sexta-feira, delegações de 192 países membros da ONU reuniram-se em Nova Iorque para prestar homenagem ao Nobel e a ministra de Relações Internacionais sul-africana, Maite Nkoana-Mashabane, sublinhou que o nome de Mandela continua a contribuir para a paz.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, caracterizou Madiba como um «exemplo vivo dos principais valores da humanidade e das Nações Unidas», recordando a sua atitude de perdoar os inimigos para fazer do Mundo um «lugar melhor».
Recorde-se que Nelson Mandela esteve preso durante 27 anos por causa da sua luta com a discriminação de negros na África do Sul (Apartheid) e em 1994 foi eleito Presidente do país, cargo que exerceu até 1999.
In TSF On Line

domingo, 11 de julho de 2010

Espanha - Campeã Mundial de Futebol - 2010

Depois do europeu, o mundial. Parabéns Espanha.

British Grand Prix - F 1

'Not bad for a No. 2' ...Mark Webber celebrates his Silverstone win © Sutton Images

terça-feira, 6 de julho de 2010

António de Sousa: Crédito fácil e barato “vai desaparecer”

05/07/10, 01:02
OJE

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB) alertou as empresas para que se preparem para tempos com crédito mais difícil e mais demorado, dizendo também que a baixa rentabilidade dos bancos portugueses os tornam presas das instituições estrangeiras.

"O que as empresas vão ter de se habituar é a que (...) acabou o crédito fácil e barato. Não fazem sentido aqueles ‘spreads' de 0,25 ou 0,35%. Só são possíveis porque o mercado está distorcido", avisou António de Sousa, em entrevista à agência Lusa.

"Portanto essa situação de crédito fácil e barato vai desaparecer", frisou o responsável, prevendo que "as empresas vão ter de voltar àquilo que sempre existiu", quando o mercado era "normal" e antes de se ter tornado "irracional".

O presidente da APB defendeu assim a necessidade de as empresas portuguesas reforçarem capitais próprios, uma vez que têm, disse, "os níveis de capitalização mais baixos em todo o panorama europeu". Justificou ainda as dificuldades dos bancos transferirem financiamento à economia real com o aumento do custo do dinheiro para as instituições financeiras, aliado às baixas taxas de juro, bem como ao aumento do crédito mal parado.

Ainda assim, o líder dos banqueiros desvalorizou o facto dos bancos portugueses serem dos que mais aproveitam o financiamento do Banco Central Europeu (BCE) para compensar a dificuldade em encontrar financiamento no mercado, afirmando que "era uma situação inevitável e que toda a gente conhecia".

"O montante que Portugal está a ir buscar ao BCE, em percentagem do PIB, é inferior aos de vários outros países. É uma situação que não é desejável, mas não é muito extraordinária", afirmou.

António de Sousa garantiu que a banca portuguesa está "de boa saúde", e que o problema de liquidez não é específico da banca, mas sim da falta de confiança em Portugal dos investidores internacionais.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

domingo, 27 de junho de 2010

European G P - F 1

Sebastian Vettel celebrates winning the European Grand Prix © Sutton Images

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Viagem à Bélgica e França - Capítulo 12 - Gent - José Saramago

No dia da morte física de José Saramago, a minha homenagem ao Prémio Nobel 98.
Fotografia tirada numa livraria em Gent - Bélgica.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Canadian Grand Prix - F 1

Lewis Hamilton salutes the fans after winning in Montreal, Canadian Grand Prix, Montreal, June 13, 2010

Audi terrasse Peugeot aux 78ème 24 Heures du Mans

Au terme d’une course pleine de rebondissements au départ de laquelle ils n’étaient pas annoncés favoris, les pilotes Audi offrent ce dimanche 13 juin à la marque aux anneaux un quatrième triplé pour le moins improbable quelques heures encore avant l’arrivée.
Avec cette neuvième victoire dans l’épreuve reine de l’endurance, Audi rejoint Ferrari au nombre de victoires.
Le succès de l’Audi R15 Plus #9 offre à Timo Bernhard, Romain Dumas et Mike Rockenfeller d’inscrire pour la première fois leur nom au palmarès des 24 Heures du Mans.
Pour les autres catégories, le Strakka Racing impose sa Honda en LM P2 ; en LM GT1, la Saleen de Larbre Compétition l’emporte tout comme la Porsche du Team Felbmayer-Proton en LM GT2.