The Widgipedia gallery
requires Adobe Flash
Player 7 or higher.

To view it, click here
to get the latest
Adobe Flash Player.
Get this widget from WidgipediaGet this widget from WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ WidgipediaMore Web & Desktop Widgets @ Widgipedia

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Ministra da Educação associa-se à Fundação Montepio e distingue inovação de projectos educativos

O “Prémio Escolar Montepio”, iniciativa que conta com o alto patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, foi entregue hoje, no auditório do edifício-sede do Montepio Geral, em cerimónia presidida pela Ministra da Educação, Dra. Isabel Alçada.
No propósito de distinguir o bom desempenho dos estabelecimentos de ensino do nosso País, estimular a apresentação de projectos educativos inovadores e orientados para a melhoria das condições de aprendizagem e promover a disseminação de boas práticas, a Fundação Montepio elegeu os projectos que, nos últimos três anos, promoveram melhorias mais acentuadas nos resultados dos exames do 9.º ano de escolaridade e convidou 50 estabelecimentos de ensino a concorrer ao “Prémio Escolar Montepio”.
Das 12 candidaturas recebidas, o júri – constituído pela Professora Doutora Manuela Silva, Professor Doutor David Justino, Professor Doutor Nuno Crato, Dr. Guilherme Valente, Dr. José da Silva Lopes e Dr. Henrique Monteiro – destacou a qualidade, a inovação e o impacto esperado dos projectos apresentados pelo Agrupamento de Escolas Coura e Minho (Caminha), pela Escola Básica Integrada de Santa Catarina da Serra (Fátima), pela Escola Básica e Secundária de Santa Cruz (Região Autónoma da Madeira) e pelo Agrupamento de Escolas Bento Carqueja (Oliveira de Azeméis), que receberão um prémio no valor unitário de 25 mil euros.

domingo, 26 de setembro de 2010

Singapore Grand Prix F 1

Champagne flows as Fernando Alonso celebrates his victory, Singapore Grand Prix, Marina Bay, September 26, 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Lisboa: Assembleia Municipal defende novo hospital pediátrico na capital

Lisboa, 21 Set (Lusa) - A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou hoje, por unanimidade, uma moção a defender a criação de um novo hospital pediátrico na capital, caso seja inviável a manutenção do Dona Estefânia.
Na moção, apresentada inicialmente pelos deputados independentes e subscrita por diversas forças políticas, os deputados, ao proporem uma construção de raiz, sugerem igualmente a anulação da intervenção já tornada pública de incorporar os serviços actualmente no Dona Estefânia no novo Hospital de Todos-os-Santos.
Os deputados solicitam igualmente à Câmara de Lisboa que, em sede de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM), disponibilize um terreno para a construção do novo hospital pediátrico.
In Expresso On Line

sábado, 18 de setembro de 2010

Papa associa ateísmo a nazismo e abre nova polémica

O segundo dia da visita de Bento XVI ao Reino Unido fica marcado por declarações polémicas. No seu discurso em Edimburgo, o Papa falou de uma "tirania nazi que quis erradicar Deus da sociedade". A Igreja Católica já tentou acalmar os ânimos

11:20 Sexta feira, 17 de Set de 2010
"Lembramo-nos de como a Bretanha e os seus líderes fizeram frente à tirania nazi que queria erradicar Deus da sociedade e negava a nossa humanidade comum a muitos, especialmente os judeus, que julgava indignos da vida", afirmou Bento XVI, na quinta-feira, perante a rainha Isabel II.
A Associação Humanista da Grã-Bretanha apressou-se a classificar as declarações do Papa como "surreais". "A ideia de que foi o ateísmo dos nazis que os levou ao extremismo e a visões cheias de ódio, ou que [o ateísmo] de alguma forma alimenta a intolerância na Grã-Bretanha hoje é uma calúnia terrível contra aqueles que não acreditam em Deus", afirma a associação.
"A noção de que são as pessoas não-religiosas no Reino Unido que hoje querem impor suas opiniões - vinda de um homem cuja organização se empenha internacionalmente em impor sua forma estreita e exclusivista de moralidade, além de enfraquecer os direitos humanos de mulheres, crianças, gays e muito outros - é surreal."
Perante a repercussão das declarações do papa, um porta-voz do Vaticano tentou minimizar a polêmica. Federico Lombardi disse que Bento 16 "sabe muito bem do que se trata a ideologia nazista".
In Visão OnLine
Meu Comentário: Coitado. Começo a  ter pena dele e dos seus seguidores. Numa altura em que são descobertos padres pedófilos, todos os dias, vir com esta ideia, é o principio do fim da igreja católica.

domingo, 12 de setembro de 2010

G P Itália - F 1

Ferrari volta a vencer em casa depois de 2006.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

PLATAFORMA CÍVICA EM DEFESA DE UM NOVO HOSPITAL PEDIÁTRICO PARA LISBOA

A Plataforma Cívica em Defesa do Património do Hospital de Dona Estefânia e de um Novo Hospital Pediátrico para Lisboa, após 2 anos de insistentes pedidos, vai ser recebida no Ministério da Saúde pela DrªAna Jorge, hoje dia 9 de Setembro às 15.30 h.

Esta reunião, vem na sequência de cerca de 2 anos de acções de sensibilização da Plataforma Cívica que tem como um dos mentores o Professor António Gentil Martins e é constituída por médicos pediatras e de outras especialidades ligadas à criança, técnicos de saúde, pais e cidadãos preocupados com o futuro dos cuidados de saúde prestados às crianças da Área Metropolitana de Lisboa e Sul do país, face à intenção do Governo de proceder ao encerramento do Hospital Pediátrico de Lisboa (Hospital de Dona Estefânia) e “substituí-lo” por um simples serviço de pediatria inserido num hospital de adultos a construir na zona de Chelas, num retrocesso técnico e civilizacional sem precedentes.

Esta atitude discricionária para as crianças de Lisboa, contrariando a tendência no mundo civilizado, contrasta com a politica do próprio ministério que vai inaugurar a muito breve prazo o novo Hospital Pediátrico de Coimbra e se bate vigorosamente com a autarquia do Porto para ai se poder também construir um novo hospital pediátrico, para além da já anunciada construção de um segundo hospital pediátrico no Porto em estreita relação com o Hospital de São João.  

Neste período foi possível constatar muitos apoios à causa das crianças de Lisboa e do seu hospital pediátrico e contra a assistência à criança integrada num dos departamentos do hospital geral de Chelas que hipotecaria, por várias gerações, a qualidade dos cuidados prestados à maioria das crianças e adolescentes, em especial os portadores de doenças mais graves ou complexas. Entre os factos mais significativos, destacamos:

- Petição púbica ao Presidente da República com mais de 76.000 assinaturas.
- Petição pública à Assembleia da Republica com mais de 6.000 assinaturas
- Apoio expresso em Plenário da maioria dos partidos da Assembleia da República (excepto PS)
- A unanimidade da Comissão de Saúde da AR (incluindo o PS) expressa no seu relatório sobre o tema.
- Apoio expresso da maioria das forças políticas representadas na Câmara Municipal de Lisboa
- Apoio expresso de Juntas de Freguesia do Concelho de Lisboa
- Votação favorável de 96,1% dos profissionais do Hospital de Dona Estefânia num inquérito anónimo em urna efectuado por entidade independente
- Apoio de inúmeras personalidades da sociedade civil respeitadas em várias áreas da ciência e da protecção à criança
- A Assembleia Municipal de Lisboa – aprovando por unanimidade a moção favorável ao desenvolvimento de um novo Hospital Pediátrico autónomo de Lisboa
- A Secção Sul da Ordem do Médicos

A manter-se, a decisão anunciada do Ministério da Saúde terá claros prejuízos para a investigação e tratamento de doenças específicas do foro infantil, colocando ainda em risco toda a lógica de tratamento e atendimento dedicado à criança, que só um novo hospital pediátrico autónomo poderá garantir. Seria um erro que, cometido agora, perduraria por gerações e gerações de crianças.

Estamos convictos que as autoridades portuguesas sabem bem que as crianças  não são adultos em miniatura, que têm necessidades próprias e direitos inalienáveis, e que, seguramente, serão sensíveis à necessidade de termos um novo Hospital para crianças, em Lisboa, autónomo, tecnologicamente evoluído, com profissionais especializados, e inteiramente dedicados ao apoio aos seus problemas globais, físicos e espirituais, preferencialmente localizado junto ao novo Hospital Geral, a construir em Marvila.  A Medicina não pode limitar-se à técnica mas nela é essencial o ambiente humano e neste caso o imprescindível “ambiente pediátrico” típico dos hospitais dedicados às crianças.

Ao invés do Ministério da saúde, a Plataforma Cívica defende dois objectivos essenciais:
1 - Por um lado, reconhece a necessidade de projectar uma nova infra-estrutura para o futuro, pugnar pela criação de um novo hospital pediátrico autónomo e exclusivamente dedicado aos cuidados à criança, ainda que fisicamente perto de um grande hospital de adultos na Capital. Defende pois um novo Hospital moderno e AUTÓNOMO, tecnologicamente evoluído e com profissionais especializados, dedicados ao apoio aos problemas globais (físicos e psico-emocionais) das crianças. Esse novo hospital deveria, em homenagem à visão inovadora da Rainha D.ª Estefânia e à identificação do colectivo da população com os valores da sua cidade, continuar a chamar-se de "Hospital de Dona Estefânia".

2 - A Manutenção do espaço onde funciona o actual Hospital de Dona Estefânia, como um espaço dedicado à criança, à promoção da sua condição especial, às suas instituições de protecção e até à prestação de cuidados e tratamentos a crianças com doenças crónicos ou deficiências, mantendo-se assim os objectivos que presidiram à doação dos terrenos.








quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Clientes do Montepio alvo de tentativa de fraude electrónica

Os clientes do Montepio estão a ser alvo de uma tentativa de phishing (fraude electrónica que tem como objectivo adquirir informações confidenciais), confirmou à Lusa fonte oficial do banco.
«O Montepio tem conhecimento da situação e está a acompanhá-la desde que a mesma lhe foi reportada, tendo desenvolvido esforços para a minimização do impacto que acções destes tipo possam originar», disse fonte oficial do banco.
«Este email configura-se como uma acção de 'phishing' tendo por objectivo captar informação privada de eventuais clientes Montepio que tenham sido receptores do email na sua caixa de correio electrónico», acrescentou.
Segundo a mesma fonte, «a selecção do botão existente no email fraudulento iria despoletar a instalação de um 'malware' no computador do leitor do email, 'malware' esse que teria por objetivo captar dados privados do utilizador».
De acordo com o Montepio, «as instituições bancárias nunca solicitam a introdução de todos os elementos de segurança dos utilizadores na utilização dos seus serviços, nem comunicam eventuais alterações de segurança por email».
Assim, «imediatamente após a tomada de conhecimento da difusão do email, o Montepio reforçou a comunicação com os seus clientes, alertando para a situação em curso», tendo já reportado a situação às autoridades competentes.
O Montepio refere assim que os clientes do banco, «tal como qualquer outro cliente bancário utilizador de serviços de online banking, deverão seguir as instruções de segurança indicadas pelas instituições financeiras».
Em meados de Agosto, também os clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD) foram vítimas de uma tentativa de 'phishing", conforme anunciou na altura a ESET, empresa que desenvolve soluções de segurança informática.
In TSF OnLine